LHLN_Thumb
04.DEZ.17 - 12:04

Festival Caminhos do Cinema Português já tem vencedores

O Grande Prémio do Festival Portugal Sou Eu da 23ª edição do festival foi atribuído à animação “Água Mole” de Laura Gonçalves e Xá.

A cerimónia de entrega de prémios decorreu ontem no Teatro Académico de Gil Vicente, em Coimbra.  

Para além do Grande Prémio, o festival distinguiu Tiago Amorim, na Seleção Ensaios, com o Prémio de Melhor Ensaio Nacional para “78.4 FM” de, pela “forma inteligente de contar uma história de amor e de perda, de sonho e de sucesso”  e Clara Stern, da Film Academy Vienna, com o Prémio Melhor Ensaio Internacional FNAC com “Waiting Time”, “pela pertinência do tema abordado”.
 

Já o Júri de Imprensa resolveu atribuir o Prémio do Júri de Imprensa CISION ao filme “António Um Dois Três”, de Leonardo Mouramateus, pela “arquitetura narrativa original”, “a relação orgânica entre personagens e narrativa”, e “o facto de o filme não seguir um modelo ou referência óbvios”.  

O realizador Marco Martins levou para casa o Prémio Don Quijote atribuído pelo Júri IFSS /FICC, com o filme “São Jorge”, “pelo modo artístico de mostrar o problema social europeu”.  

Já na Seleção Caminhos, o Prémio Revelação foi para Mauro Soares, “pela intensidade da personagem” a que deu vida no filme “António Um Dois Três”, de Leonardo Moura Mateus. O prémio de Melhor Comunicação IVITY Brand Corp foi atribuído a “Tudo o que imagino” de Leonor Noivo; a João Lucas foi entregue o prémio de Melhor Banda Sonora Original, no filme “A gruta de Darwin” de Joana Toste.  

Quanto aos argumentos, o Melhor Argumento Adaptado foi para “O Dia em que as Cartas Pararam”, de Cláudia Clemente, e o Melhor Argumento Original foi o de “Tudo o que Imagino”, de André Simões e Leonor Noivo.  

Nos prémios de interpretação, Joana Pais de Brito recebeu o Prémio de Melhor Atriz Secundária em “A Mãe é que Sabe” de Nuno Rocha, José Raposo, em “São Jorge” de Marco Martins, como Melhor Ator Secundário, Ana Bustorff, Melhor Atriz, em “O Dia em Que as Cartas Pararam” e Nuno Lopes, Melhor Ator, no filme “São Jorge” de Marco Martins.  

Os Prémios Oficiais da Seleção Caminhos foram entregues a: “Quem é Bárbara Virgínia?”, de Luísa Sequeira (Melhor documentário Universidade de Coimbra); “Última Chamada”, de Sara Barbas (Melhor Animação Frutibairrada); “Humores Artificiais”, de Gabriel Abrantes (Melhor Curta Turismo do Centro); “António Um Dois Três”, de Leonardo Mouramateus (Melhor Longa-metragem); e “Água mole”, de Alexandra Ramires e Laura Gonçalves (Grande Prémio do Festival Portugal Sou Eu). O Prémio do Público Chama Amarela foi atribuído ao filme “Coração Negro”, de Rosa Coutinho Cabral.

Facebook Twitter